reparos-capa

Fix’it

A friendship between a little girl and an old man. How they find questions and answers in the middle of a messy workshop.

 

Pages: 84
Publisher: Indie
Year: 2017
Size: 19 cm x 27,5 cm

DIGITAL VERSIONS:

Guilherme Briggs“Actor, Voice Actor and Dubbing Director”

Reading “Fix’it”, through the eyes of Brão Barbosa, with his vivid artwork and script, I was deeply touched with emotion. It transported me back to my own childhood. The outlandish image of Mr. Ravid, brought back memories of my late father, who was one of the most creative, fun-loving people that I had ever known, my partner in crime – through turmoil and adventure.

He had a makeshift workshop just off the kitchen in the laundry room at my grandmother’s house. It was a delightful space, packed with tools against the walls, rolls of tracing paper, airplane assembly kits, model boats and cars, notebooks and books, sketches and house plans, and wooden toys he made for me.

My father could create and fix just about everything. If grandmother’s cooker broke, he would immediately study up on it, consult technical books, ask in stores or talk to technicians, and he would be able to fix it to an even better working condition. If my grandfather complained about his dentures, hurting his palate, dad would study it, buy all the necessary material and mold a new prosthesis (several models), until my grandfather approved of one. It was the 1970s and 1980s, so there was no internet, everything had to be tediously sourced in libraries or by talking to people in the know-how.

Delving into Eunice’s character I could see a little bit of myself. In my case it was my love for the arts (still today) and not really engineering. Dad always tried to pass on his love for machines, taking me with when he fixed things on his blue Volkswagen Beetle. But, after a while, seeing my face of utter boredom and dismay, he sort-of gave up, realigning his enthusiasm with me on creating audio-stories, drawing and comic books, which he too loved and he made me even more enthusiastic. We were no longer talking about car engines, but rather bizarre superheroes and crazy monsters. Every weekend we would invent stories for these characters. Dad gave me the belief, that we can be independent, we can create our own entertainment, by creating things to entertain ourselves without always consuming externally or depending on others. We could have our own private universe and feed from it with extreme happiness and personal satisfaction.

“Fix’it” will transport you to this warm and nostalgic universe, since each of us has a life story in which we were graced by a creative and kindly mentor or soul, who synchronized with ours, accepted us for who we are and filled us with hope and encouragement.

We cannot fix people or ourselves as easily as we can fix machines. Perhaps we are never repaired as a civilization, but at least we have some solace: our enchantment with the unknown will never cease, it will forever take us forward, never stagnating.

  • Adriano Gobbo

    Revista chocante. Acho que é o melhor que posso dizer sem te entregar informações demais. Nem posso te dizer o gênero para dar gosto a alguns segredos!!! E a arte está muito legal, com o uso de cores dominantes de uma forma simples que torna tudo tão… rico! Leia de uma vez só, é a maneira de se surpreender da melhor forma.

  • Edson Istanislau

    Essa HQ sem duvidas está em destaque na minha prateleira, uma historia tão plausível que te compra desde o primeiro quadro e que te faz devorar suas paginas, concluindo com um final épico.

  • Joaquim Henrique Silveira

    Acabei de ler “Feliz Aniversário, Minha Amada”. Te digo uma coisa… Parabéns! Que história interessante e intrigante. A construção do último ato explodiu minha cabeça. Traço muito criativo e autoral, assim como as belas cores, as quais fazem parte da narrativa. Vida Longa e Próspera” nas HQ’s.

  • zeeumesmo

    Cara, você é doente! :D Que HQ foi essa do “Feliz Aniversário MINHA AMADA”!? WOW! Não sou muito de ler quadrinhos, mas esse prendeu minha atenção. Li em PDF devido a minha condição financeira desfavorável, mas assim que tiver essa situação mudada, irei compra-la. Abraço, Brão! Do amigo: José Lima (Ator / “O Alegria” da Cavalaria Geek) #rauuuuul

  • Leandro Alves

    no MRG disse que tava de graça

  • Joao Victor

    Só um sentimento me consome nesse momento: Medo. Uma história chocante, final surpreendente, assim que acabei de ler, eu volte as páginas algumas vezes pra ver se era aquilo mesmo hahaha.

  • lala

    lala

  • lala

    lala

  • Leonardo Felix

    Desde de o MRG quis ler essa obra, sábado tive a oportunidade de comprar na CCXP e li lá mesmo. Não sei descrever, fiquei imerso na historia e acabei tendo aquele gosto de quero mais, o jeito que ela foi contada, mesmo que simples, é fácil de se envolver.

    PS. Quero um filme xD.

  • Davi Jung

    Uma obra muito divertida e excitante que ao contar a aventura de Eunice, trabalha questões do coração e do chamado com as quais todos vão se identificar, rir, chorar e refletir juntos
    RECOMENDADÍSSIMO!

  • Marjorie Okuyama

    Reparos é uma história que nos remete à infância já nas primeiras páginas. As ilustrações ricas em detalhes deixam tudo ainda mais vivo. Fazia tempo que não lia quadrinhos, e fazia ainda mais tempo que não me deparava com uma história que trouxesse uma nostalgia e uma saudade tão grande de pessoas queridas.

  • Cintia Inoue

    Que quadrinho mais lindo! Uma história que me fez lembrar de quantas vezes aprendi com a sabedoria dos mais velhos e como isso tem influência no que sou hoje. Cada ensinamento que parecia ser só uma conversa boba e que hoje eu consigo entender o significado. Bateu saudades desses tempos.

  • Ana Paula Albuquerque

    Lindo! História emocionante e cheio de detalhes que mexem no S2
    Adorei !!

  • Nelson FB

    Que quadrinho gostoso de ler! A forma como o Brão conta a história e mostra o mundo do ponto de vista da criança é bem divertido. A interação entre a criança e o adulto é bem tocante. E o final me fez querer fazer algumas perguntas para ele, mas como ele mesmo disse, o espectador, o leitor também quer contar histórias. Que sabedoria! Um final na medida certa.

  • Jusier de Melo

    Cara a história é fantástica, parabéns Brão!! O final dá um nó na garganta. Sou seu fã desde Jesus Rocks.

  • Juliocesar Alves

    Reparos é realmente muito interessante e divertido, é gostoso de ler. O final é sensacional, daqueles que vai te fazer lembrar dele por muitos anos. Me lembrei do meu avô, de quando construíamos móveis de madeira em casa, ao mesmo tempo em que me fez pensar na minha filha e no meu tempo com ela. Parabéns e sucesso Brão!

  • Vinicios Santana

    Achei sensacional, clima de infância com um final emocionante. Já recomendei para meus amigos que gostam de quadrinhos.

  • Ariel Jaeger

    Cara, que sensação incrível ao ler Reparos. Li devagar porque cada quadro, pra mim, foi um mundo de detalhes para ser observado. Foi muito divertido fazer parte da história com a Eunice. Me senti na infância quando achávamos que as pessoas estranhas iriam nos matar se pudessem ficar a sós com a gente ahaha. O Final está de arrepiar, mais ainda ao saber que essa história incrível, tem base em fatos reais. Parabéns Brão, sou se fã e me orgulho de ser seu amigo.

  • Pamela Gomes

    Ganhei do meu namorado, Bruno, e a princípio me deparei com ilustrações lindas e fiquei super animada. Mas a história, amigos… é de deixar um nó na garganta (pra não dizer olhos marejados e nariz escorrendo. Hahaha) Demorei um tempo para me recuperar. Rs adorei e com certeza irei revisitá-la com frequência. Obrigada!

  • Cleilton Rolim

    Trabalho belíssimo e delicado! E todo o making of mostrou a dedicação e seriedade no projeto. Acompanho o Brâo desde Feliz aniversário,minha amada.Parabéns!

  • Pingback: Fix’it, by Brão Barbosa – comic books from brazil()

  • Ana

    Tãaaaao bom! Chorei no final e fiquei morrendo de vontade de ir para casa dar um abraço na minha família. É aquele tipo de obra que parte seu coração, mas te consola ao mesmo tempo <3

  • Simone Neves

    Conheci a obra na CCXP e, de cara, gostei da capa e do título. Comprei para minha filha de 13 anos (sim, aquela idade), mas acabei lendo antes dela. Os desenhos são ótimos, mas o ponto alto do livro é mesmo a história, que é linda, sensível, profunda e divertida, tudo ao mesmo tempo. Me fez refletir sobre certas escolhas que fiz no decorrer da vida – inclusive durante a infância – e as respectivas consequências (só aquelas por mim conhecidas, claro). Espero que a história provoque efeito semelhante na minha filha. Creio que nunca é tarde demais – nem cedo demais – para o necessário (embora doloroso) processo de autoconhecimento.

  • Muito bom, trabalho belíssimo. Conheci a obra pelo making of (o podcast foi indicado pelo rebobinando, um podcast que sou ouvinte) e tive que vir atrás da história por conta de todo carinho que eu percebi no autor. Super recomendo, história fantástica e final incrível. Parabéns ao Brão!

  • Andrew Luiz

    Cara, que demais. Seu trabalho deveria ser visto e apreciado por todo mundo

  • Guilherme Jales

    Acabei de acabar a leitura. Obrigado por tocar a todos nós com um texto tão lindo. Já se tornou um dos favoritos da vida.